Zeugma


Zeugma

Etimologia:

O termo zeugma vem do grego zeygma, que quer dizer “ligação”, “vínculo”, “conexão”.

Descrição:

O zeugma é a figura de linguagem que pode ser considerada um caso particular da elipse. O zeugma caracteriza-se pela omissão de palavras ou expressões anteriormente expressas no período. A repetição do termo fica subentendida, sem que isso prejudique a compreensão da sentença.

Há ainda uma forma específica do zeugma que é caracterizada pela omissão de uma palavra que, no ponto em que está oculta, tem flexão diferente daquela que apresenta a palavra explícita. Esse caso é chamado de zeugma complexo.

Exemplos de zeugma:

    Eu gosto de morango e de melancia também.

  • Nessa frase, a repetição do verbo “gosto” está implícita, mas conseguimos entender a frase tão bem quanto se estivesse escrito: “Eu gosto de morango e gosto de melancia também”.
  • Eu chego cedo sempre, só não quando estou sem carro.

  • Aqui, a expressão “chego cedo” foi omitida. Se ela estivesse explícita, o período seria assim: “Eu chego cedo sempre, só não chego cedo quando estou sem carro.
  • Desembrulhe essa caixa enquanto eu desembrulho a outra.

  • Nesse exemplo, “a outra” indica que uma palavra foi omitida, a palavra “caixa”. Sem o zeugma, teríamos uma repetição desnecessária, que chega a incomodar: “Desembrulhe essa caixa enquanto eu desembrulho a outra caixa”.
  • Meus amigos adoram praia, e eu também.

  • No exemplo acima, temos um caso de zeugma complexo. Note que fica subentendida a repetição da ideia de adorar praia. Entretanto, no ponto em que o verbo adorar está oculto, a flexão é diferente de “adoram”, forma explícita dele na primeira oração. Na oração “e eu também” está oculto o verbo “adoro”. Assim, se as duas formas verbais estivessem explícitas, esse período seriam assim: “Meus amigos adoram praia, e eu também adoro praia”.