Onomatopeia

Onomatopeia

Etimologia:

A palavra onomatopeia tem origem no grego onomatopoiía, que significa “ato de fazer palavras”. O termo grego é composto por dois outros termos: onoma, que quer dizer “palavra, nome”, e poiein, que significa “fazer”.

Descrição:

Essa figura de linguagem se manifesta através do uso de palavras que tentam imitar sons do nosso cotidiano, como os barulhos característicos dos animais, o barulho produzido por fenômenos da natureza, os diversos sons dos instrumentos musicais e tantos outros. Uma onomatopeia é uma palavra que usamos para representar esses sons, já que não somos capazes de reproduzi-los fielmente na nossa fala nem na escrita.

Algumas onomatopeias são tão frequentes que já se estabeleceram como a representação convencional de determinados sons. É o caso do “tic-tac” que todos usamos quando queremos imitar o barulho do relógio trabalhando. É também o caso do “miau” que todos entendemos que se trata do som produzido pelo gato. Além dessas, há as onomatopeias que criamos enquanto falamos normalmente no dia a dia e nem nos damos conta. Se você estiver falando sobre o barulho de um motor e quiser imitá-lo, você não terá dificuldade em inventar uma palavra curta (ou uma sequência de palavras) que lembre o som que o motor faz. Ainda que ninguém mais conheça ou use esse termo, ele é uma onomatopeia.

Exemplos:

    A visita chegou e tocou a campainha: ding dong!

  • O “ding dong” imita o som que um determinado tipo de campainha faz.

  • Todos os dias, às seis da tarde, o sino da igreja faz blem, blem, blem.

  • O “blem, blem, blem” lembra o som metálico e prolongado que cada badalada do sino produz.

  • A fada-madrinha agitou sua varinha de condão e plim! A transformação estava feita.

  • Nos filmes e desenhos, sempre que um passe de mágica acontece, ele é acompanhado de um barulhinho agudo, que costumamos imitar com a onomatopeia “plim”.

Comentários