Assíndeto


Assíndeto

Etimologia:

A palavra assíndeto tem origem no grego asýndetos, formado pelo prefixo “a”, que indica negação, e pelo verbo syndéo, que significa “unir”, “ligar”. O significado original é a ausência de ligação, a desunião.

Descrição:

O assíndeto é a figura de linguagem que caracteriza-se pela omissão dos conectivos entre palavras, expressões ou orações que compõem um período composto por orações coordenadas assindéticas — vale ressaltar que, na classificação das orações coordenadas, a designação “assindética” é suficiente para indicar a ausência de conectivos. O assíndeto é usado como recurso estilístico para enfatizar os termos mais importantes de uma sentença, considerando-se a ideia que se deseja transmitir nela.

Do ponto de vista da presença ou ausência de elementos de ligação, o assíndeto pode ser considerado a figura de linguagem oposta ao polissíndeto.

Exemplos de assíndeto:

    Tem que ser selado, registrado, carimbado, avaliado, rotulado, se quiser voar
    Pra lua, a taxa é alta
    Pro sol: identidade
    Mas para o seu foguete viajar pelo universo é preciso o meu carimbo dando o sim, sim, sim, sim
    (Carimbador Maluco – Raul Seixas)

  • No primeiro verso desse exemplo, a ausência de conectivos enfatiza as exigências que o foguete deve cumprir se quiser voar. Ele deve ser “selado, registrado, carimbado, avaliado, rotulado”, e a sucessão desses verbos sem conectivo algum entre eles transmite a idéia de excesso, de sobrecarga de exigências.
  • Tive ouro, tive gado, tive fazendas
    (Confidência do Itabirano – Carlos Drummond de Andrade)

  • Aqui, temos um período composto por orações coordenadas assindéticas, portanto não há conectivos entre elas.
  • Escolhi, paguei, levei pra casa.

  • A ausência de elementos de ligação entre as orações “escolhi”, “paguei” e “levei pra casa” torna o período mais ágil e concentra nossa atenção nas ações praticadas pelo sujeito.